Top

Mydriasert

FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÕES PARA O UTILIZADOR
MYDRIASERT 5.4 mg + 0.28 mg Inserto oftálmico
Cloridrato de fenilefrina + tropicamida
 

Leia atentamente este folheto antes de utilizar este medicamento.

Conserve este folheto. Pode ter necessidade de o reler.

Caso ainda tenha dúvidas, fale com o seu médico ou farmacêutico.

Este medicamento foi receitado para si. Não deve dá-lo a outros; o medicamento pode ser-lhes prejudicial mesmo que apresentem os mesmos sintomas.

Se algum dos efeitos secundários se agravar, ou se detetar quaisquer efeitos secundários não mencionados neste folheto, informe o seu médico ou farmacêutico.

 
Neste folheto:
 
  1. O que é MYDRIASERT e para que é utilizado
  2. Antes de utilizar MYDRIASERT
  3. Como utilizar MYDRIASERT
  4. Efeitos secundários possíveis
  5. Como conservar MYDRIASERT
  6. Outras informações
 
1. O QUE É MYDRIASERT E PARA QUE É UTILIZADO
 
MYDRIASERT é um medicamento oftálmico, isto é, exclusivamente para tratamento ocular.
 
A utilização de MYDRIASERT é destinada apenas a profissionais de saúde.
 
MYDRIASERT destina-se a ser inserido pelo pessoal médico na pálpebra inferior do seu olho. Utiliza-se para obter uma midríase (dilatação da pupila), antes de uma intervenção cirúrgica ou para fins de diagnóstico.
 
2. ANTES DE UTILIZAR MYDRIASERT
 
NÃO UTILIZE MYDRIASERT nos seguintes casos: se tem alergia (hipersensibilidade) à tropicamida ou ao cloridrato de fenilefrina ou a qualquer outro componente de MYDRIASERT, doentes com glaucoma de ângulo fechado ou em risco de precipitação de glaucoma (aumento da pressão ocular).
 
Tome especial cuidado com MYDRIASERT
 
Uma vez que este medicamento causa perturbações visuais prolongadas, tenha o cuidado de vir acompanhado à consulta (ver efeitos secundários possíveis).
 
Em caso de desconforto após inserção do inserto, informe o seu médico: pode ocorrer uma deslocação ou, mais raramente, a perda do inserto.
 
Se sofre de grave secura dos olhos, o médico poderá ter de colocar uma gota de solução salina no olho para reduzir o risco de irritação ocular.
 
Em caso de hipertensão (pressão arterial elevada), aterosclerose (espessamento da parede arterial), doença cardíaca ou hipertiroidismo (aumento da actividade da glândula tiróide)ou perturbações prostáticas, informe o seu médico.
 
Em determinadas pessoas com predisposição, os agentes midriáticos (produtos que dilatam a pupila) podem desencadear uma crise de glaucoma agudo (devido ao súbito aumento da pressão ocular).
 
É desaconselhado o uso de lentes de contacto hidrófilas durante o tratamento.
 
Ao usar MYDRIASERT com outros medicamentos
 
Informe o seu médico se estiver a usar medicamentos que dilatem as pupilas (midríase), para além de Mydriasert, de forma que o médico possa determinar a quantidade total de agente midriático à qual ficará exposto.
Informe o seu médico ou farmacêutico se estiver a tomar ou tiver tomado recentemente outros medicamentos, incluindo medicamentos obtidos sem receita médica. Embora Mydriasert seja aplicado localmente, estas informações são importantes, uma vez que alguns medicamentos podem afectar a acção de outros.
 
Gravidez e aleitamento
 
Não existem dados adequados sobre a utilização de Mydriasert ou das suas substâncias activas em mulheres grávidas. Por isso, Mydriasert não deverá ser utilizado durante a gravidez, a menos que seja claramente necessário.
A utilização durante o aleitamento não é recomendada.
 
Condução de veículos e utilização de máquinas
 
Não conduza ou utilize máquinas porque MYDRIASERT pode causar perturbações visuais incómodas por algumas horas (turvação devido à dilatação prolongada da pupila).
 
Informações importantes sobre alguns componentes de MYDRIASERT
 
Os desportistas devem ser alertados para o facto de este medicamento conter uma substância activa (o cloridrato de fenilefrina) que pode originar resultados positivos nos testes para detecção de substâncias proibidas.
 
3. COMO UTILIZAR MYDRIASERT
 
DESTINADO APENAS A UTILIZAÇÃO POR PROFISSIONAIS DE SAÚDE.
 
Mydriasert destina-se a ser usado em adultos. Mydriasert não deve ser ingerido.
O profissional de saúde colocará um inserto oftálmico dentro da pálpebra inferior do olho em questão. O profissional retirará o inserto em 30 minutos, quando a pupila se apresentar suficientemente dilatada, e antes de proceder à operação ou à investigação do olho. O inserto oftálmico não deve permanecer dentro do olho por mais de 2 horas.
 
Se utilizar mais MYDRIASERT do que deveria
 
Dado que um único inserto será inserido no olho pelo médico ou profissional de saúde, é improvável o risco de utilizar mais Mydriasert do que o recomendado. No entanto, se o profissional de saúde precisar de usar gotas oculares midriáticas, para além de Mydriasert, pode ocorrer o risco de sobredosagem das substâncias activas de Mydriasert.
Os sintomas de sobredosagem das substâncias activas de Mydriasert podem incluir fadiga extrema, sudação, tonturas, diminuição do ritmo cardíaco, coma, dores de cabeça, aumento do ritmo cardíaco, boca e pele seca, sonolência invulgar, rubor e dilatação prolongada das pupilas.
Caso ainda tenha dúvidas sobre a utilização deste medicamento, fale com o seu médico ou farmacêutico.
 
4. EFEITOS SECUNDÁRIOS POSSÍVEIS
 
Como todos os medicamentos, MYDRIASERT pode causar efeitos secundários, no entanto estes não se manifestam em todas as pessoas.
Os efeitos secundários frequentes (verificados em mais de um em cada 100 doentes, nos ensaios clínicos) incluem: picadas, visão enevoada, desconforto visual devido à percepção da presença ou deslocação do inserto oftálmico.
Os efeitos secundários pouco frequentes (verificados em mais de um em 1000, mas menos de 1 em 100 doentes, nos ensaios clínicos) incluem: lacrimejo, irritação, encadeamento devida à dilatação prolongada da pupila, e queratite ponteada superficial (inflamação da córnea).
Em alguns casos raros (verificados em menos de um em 1000 doentes), foram observados os seguintes efeitos secundários: Reacções alérgicas: inflamação das pálpebras (blefarite), inflamação da conjuntiva conjuntivite).
Foram observadas úlceras da córnea (pequenas erosões da superfície do olho) e edema da córnea (inflamação da superfície do olho) quando o inserto oftálmico foi acidentalmente deixado dentro do olho.
Em indivíduos com predisposição, MYDRIASERT pode desencadear uma crise de glaucoma agudo (súbito aumento da pressão intra-ocular): em caso de sintomas anormais após a administração (vermelhidão, dor e perturbações visuais), contacte imediatamente o seu médico.
 
Embora improvável após administração no olho, as substâncias activas contidas em MYDRIASERT podem causar os seguintes efeitos secundários, que deverão ser tidos em consideração:
  • aumento da pressão arterial, taquicardia,
  • muito raramente, incidentes mais graves, como arritmia cardíaca,
  • tremores, palidez, dores de cabeça, boca seca.

Comunicação de efeitos secundários

Se tiver quaisquer efeitos secundários, incluindo possíveis efeitos secundários não indicados neste folheto, fale com o seu médico ou farmacêutico. Também poderá comunicar efeitos secundários diretamente ao INFARMED, I.P. através dos contactos abaixo. Ao comunicar efeitos secundários, estará a ajudar a fornecer mais informações sobre a segurança deste medicamento.

 

INFARMED, I.P.

Direção de Gestão do Risco de Medicamentos

Parque da Saúde de Lisboa, Av. Brasil 53

1749-004 Lisboa

Tel: +351 21 798 71 40

Fax: +351 21 798 73 97

Sítio da internet: http://extranet.infarmed.pt/page.seram.frontoffice.seramhomepage

E-mail: farmacovigilancia@infarmed.pt

 
5. COMO CONSERVAR MYDRIASERT
 
Manter fora do alcance e da vista das crianças.
Não utilize MYDRIASERT após o prazo de validade impresso na saqueta após"VAL".
Não conservar acima de 30°C.
Usar imediatamente após abertura da saqueta.
Não utilizar MYDRIASERT se observar qualquer deterioração no invólucro da saqueta ou no inserto oftálmico.
 
6. OUTRAS INFORMAÇÕES
 
Qual a composição de MYDRIASERT
  • As substâncias activas são tropicamida 0.28 mg e cloridrato de fenilefrina 5.4 mg, em cada inserto oftálmico.
  • Os outros componentes são o metacrilato de amónio copolímero tipo A, Eudragit NE 30D, dibehenato de glicerilo e etilcelulose.
 
Qual o aspecto de MYDRIASERT e conteúdo da embalagem
 
MYDRIASERT é fornecido numa saqueta.
MYDRIASERT tem o formato de uma pequena placa (inserto) branca, oblonga (4.3 mm x 2.3 mm).
Cada embalagem contém outra saqueta com uma pinça esterilizada descartável, usada para colocação de MYDRIASERT no olho.
Embalagens de 1 inserto e 1 pinça, 10 insertos e 10 pinças, 20 insertos e 20 pinças, 50 insertos e 50 pinças ou 100 insertos e 100 pinças.
É possível que não sejam comercializadas todas as apresentações.
 
Titular da Autorização de Introdução no Mercado e Fabricante
Titular da Autorização de Introdução no Mercado


Laboratoires Théa
12, Rue Louis Blériot - Zone Industrielle du Brézet
63017 CLERMONT-FERRAND – FRANÇA
 
Fabricante:
BENAC
10, Avenue Paul Langevin
17180 PÉRIGNY – FRANÇA
 
Este medicamento encontra-se autorizado nos Estados Membros do Espaço Económico
Europeu (EEE) sob as seguintes denominações:
 
Alemanha Mydriasert
Áustria Mydriasert
Bélgica Mydriasert
Dinamarca Mydriasert
Espanha Mydriasert
Finlândia Mydriasert
França Mydriasert
Holanda Mydriasert
Itália Mydriasert
Luxemburgo Mydriasert
Portugal Mydriasert
Reino Unido
Mydriasert
Suécia Mydriasert
 
Este folheto informativo foi revisto pela última vez em Junho 2015
 
A informação que se segue destina-se apenas aos médicos e aos profissionais dos cuidados de saúde.
 
Não ingerir.
Antes de usar o medicamento, verifique a integridade da saqueta. Em caso de deterioração do invólucro da saqueta, a esterilidade deixa de estar assegurada; neste caso, use outro inserto oftálmico retirado de uma embalagem intacta.
 
POSOLOGIA
 
Mydriasert é reservado a adultos.
O profissional de saúde coloca um inserto oftálmico no saco conjuntival inferior do olho em questão, num máximo de duas horas antes da intervenção cirúrgica ou da investigação.
 
MODO DE ADMINISTRAÇÃO
Cortar o bordo do invólucro ao longo da linha ponteada, abrir a saqueta e localizar o inserto. Puxar para baixo a pálpebra inferior, segurando-a entre o polegar e o indicador (A) e aplicar o inserto oftálmico no saco conjuntival inferior, usando a pinça esterilizada descartável fornecida na embalagem, a qual deve ser eliminada imediatamente após a utilização (B).
 
INSTRUÇÕES DE UTILIZAÇÃO
 
O inserto oftálmico não deve ser deixado mais de duas horas dentro do saco conjuntival inferior. O médico pode retirar o inserto oftálmico logo que a midríase seja considerada suficiente para a intervenção ou o procedimento a realizar; no máximo, o inserto deve ser retirado 30 minutos após dilatação suficiente da pupila. Em caso de desconforto, verificar se o inserto foi correctamente inserido na base do saco conjuntival inferior.
 
ADVERTÊNCIA: RETIRADA DO INSERTO OFTÁLMICO
Antes de uma intervenção ou procedimento, e logo que se obtenha a midríase desejada, o inserto oftálmico deve ser retirado do saco conjuntival inferior usando uma pinça cirúrgica esterilizada ou uma mecha esterilizada ou uma solução de lavagem ou irrigação esterilizada, puxando para baixo a pálpebra inferior (C).
 
 
Não reutilizar o inserto no outro olho do mesmo doente ou noutro doente.
 
Eliminar o inserto após a utilização.
 
(Ver também a secção 3)